Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topoVer em Libras
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora:Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Senado apresenta Agenda Brasil para recuperar confiança na economia#

« Mais recente🔀Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:governo, renan, brasil, legislativo, disse, senado e dilma286 palavras2 min. para ler

A Agenda Brasil foi apresentada nesta terça (11), no plenário do Senado, pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). Ela prevê, entre outras medidas, a votação de 27 proposições legislativas que objetivam aumentar a confiança dos investidores na economia do país. O documento foi motivo de encontro de Renan e líderes partidários com os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, na residência da presidência do Senado, na segunda (10).
Propostas relacionadas à responsabilidade fiscal também vão entrar no pacote, como a emenda constitucional que proíbe o governo federal de adotar medidas que aumentem os gastos dos estados e municípios sem apontar fonte de receita. Outras são polêmicas, como a que possibilita a cobrança por procedimentos no Sistema Único de Saúde (SUS) por faixa de renda.

Ao fazer o anúncio da Agenda Brasil, Renan, que também preside o Congresso Nacional, disse que o Legislativo quer colaborar para o fim da crise. "Não é uma colaboração do Senado Federal, é uma colaboração do Legislativo. Nós queremos ser vistos como facilitadores e não como sabotadores." O senador lembrou que o sistema legislativo é bicameral e afirmou que "todas as sugestões serão bem recebidas”.

"Discutir o impeachment todos os dias não resolve a crise econômica”, disse o senador, que defende "a separação das crises". "O governo Dilma Rousseff não é o Brasil. O reducionismo é impróprio. O governo Dilma, como todos sabem, tem data para acabar, e o Brasil vai continuar existindo", afirmou.


Uma nova reunião com o ministro da Fazenda está marcada para esta quarta (12), às 16h, quando o governo dará resposta sobre as propostas com as quais concorda. "Se o governo entender que é o caso, daremos início a esse processo que é urgente", disse Renan.

Últimos recados#

Curta o nosso site#

Este site usa cookies para melhorar a navegação.
Termos legais e privacidadeOpt-out