Voltar ao topo.
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Indústria cresce 5,3% em outubro e tem a maior taxa desde 2013

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:reuters, contribuiu, caiu, contramão, outros, extrativas, indústrias e ópticos251 palavras4 min. para ler
Indústria cresce 5,3% em outubro e tem a maior taxa desde 2013Ver imagem ampliada
A produção da indústria brasileira cresceu 5,3% em relação a outubro do ano passado. Essa foi a sexta alta seguida nessa base de comparação e a mais forte desde abril de 2013, quando chegou a 9,8%. Os números foram divulgados nesta terça-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar do resultado positivo, a produção brasileira ainda permanece no nível do início de 2009. "Sem contar que estamos 17,2% abaixo do ponto mais alto da série, que foi em junho de 2013", disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

A indústria acumula resultado negativo no ano. De acordo com dados do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro conhecidos na semana passada, de janeiro a setembro, a atividade recuou 0,9%.

O setor de veículos automotores, reboques e carrocerias produziu 27,4% mais do que em 2016 e contribuiu com o resultado positivo da indústria em geral. Também cresceram as produções de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (22%) e das indústrias extrativas (3,1%), entre outros. Na contramão, caiu a produção de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis. Segundo Macedo, o grande destaque da produção industrial em outubro ficou com os bens de capital e os bens consumo duráveis. Ambos registraram, na comparação com outubro do ano passado, crescimento de dois dígitos – respectivamente 14,9% e 17,6%.

Entre as grandes categorias econômicas, também cresceu a produção de bens de consumo semi e não-duráveis (2%). O avanço interrompeu dois meses seguidos de queda na produção. Bens de capital subiu menos, 1,1%, "mantendo o comportamento positivo iniciado em abril".

Fonte: G1

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Fonte:G1
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!