Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Oeste Capital 93.3 FM
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Greve de caminhoneiros chega ao 4º dia e causa reflexos pelo país

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:trabalhos, produção, calcula, prejuízos, chegam, r, interromper e ter320 palavras5 min. para ler
Greve de caminhoneiros chega ao 4º dia e causa reflexos pelo paísVer imagem ampliada
A greve dos caminhoneiros que chega nesta quinta-feira (24) ao 4º dia em Santa Catarina contra o aumento no valor do diesel. A paralisação causa impactos nas áreas do transporte, saúde, educação, abastecimento de alimentação, postos de gasolina e distribuição de água. Hoje pela manhã, 76 pontos em rodovias federais e estaduais estavam prejudicados. Os grevistas permitem a passagem apenas de carros, ônibus e ambulâncias. No Oeste catarinense, dois municípios já registram total falta de abastecimento em postos de combustível, como as cidades de São Miguel do Oeste e São Lourenço do Oeste. Em Florianópolis, Itajaí, Criciúma, Tubarão e Blumenau os postos também registram desabastecimento parcial, sendo que os estabelecimentos que ainda possuem o combustível registram longas filas nesta manhã.

Mais três hospitais anunciaram nesta quinta-feira o cancelamento de cirurgias eletivas como consequência da greve dos caminhoneiros, o Hospital Caridade de Florianópolis, Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê e o Hospital São José de Maravilha. Com isso, quatro hospitais do estado estão com cirurgias eletivas canceladas e outros oito estão com atendimento comprometido.
A Aurora começou nesta quinta-feira (24) uma paralisação de dois dias em Chapecó, por não ter como escoar a produção de aves e suínos. A empresa calcula que os prejuízos chegam a R$ 50 milhões por interromper os trabalhos até sexta (25).
As unidades BRF de Concórdia e Itapiranga também suspenderam o abate. Os criadores que fornecem aves e suínos para a empresa deixaram de receber os insumos. Sem milho, eles não conseguem produzir a ração dos animais.
 
A Diretoria das Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (CEASA-SC), em Florianópolis, já registra desabastecimento de cerca de 80% dos produtos. Carregamentos de alimentos, como frutas e verduras, do Paraná e Rio Grande do Sul vieram pela última vez para os boxes na segunda-feira ( 21). A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) informou que já há falta de vários produtos nos supermercados.
Fonte: G1 SC
Foto: Guilherme Lopes/TV TEM
 
 
 

Fonte:G1
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!