Voltar ao topo.
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Santa Catarina tenta diminuir impacto negativo da operação `Carne Fraca`

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:g1sc, maior, sindicato, derivados, sindicarne, ricardo, gouvêa e exportador311 palavras4 min. para ler
Santa Catarina tenta diminuir impacto negativo da operação `Carne Fraca`Ver imagem ampliada
O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), afirmou que já entrou em contato com embaixadas de pelo menos seis países que compram carne catarinense para dar informações e tentar diminuir o impacto da Operação Carne Fraca.  O governador informou que entre esta terça (21) e quarta (22), participará de reuniões em Brasília com o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para tratar de ações conjuntas.


No final da tarde de segunda, Colombo se reuniu com produtores de carne e órgãos de fiscalização no estado. O governador afirmou que um dos objetivos da reunião é a união do governo com a indústria para tranquilizar a população. "Uma integração da gente no sentido de proteção do consumidor, que é uma coisa que os nossos técnicos garantem desde a primeira hora”. Porém, todos admitem que o estrago na imagem do produto catarinense já foi feito. "Uma notícia dessa no Brasil arranha, e muito, a nossa imagem. A gente espera que não tinha ido totalmente por água abaixo assim, mas que arranhou, arranhou", afirmou o presidente do Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne), Ricardo Gouvêa.


Santa Catarina é o estado que mais exporta carne suína e o segundo maior exportador de frango do país. Atualmente, a exportação de carnes responde por 5% do Produto Interno Bruto (PIB), ou seja, toda a riqueza que o estado produz. O estado exporta carne para 116 países. Nos últimos seis anos, essas exportações renderam U$ 2,7 bilhões para a economia catarinense, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).


De acordo com o governo catarinense, o estado é hoje o único no Brasil livre de febre aftosa sem vacinação e, junto com o Rio Grande do Sul, faz parte de uma zona livre de peste suína clássica, com certificados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).


Fonte:G1SC


 

Fonte:G1SC
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!