Voltar ao topo.Ver em Libras.
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

EMPRESÁRIO QUE MATOU ESPOSA E ESCONDEU CORPO EM ARMÁRIO É JULGADO EM CHAPECÓ

« Última» Primeira🛈
ImprimirReportar erroTags:nada, era, denúncia, consta, desferir, lado, esquerdo e peito316 palavras4 min. para ler
EMPRESÁRIO QUE MATOU ESPOSA E ESCONDEU CORPO EM ARMÁRIO É JULGADO EM CHAPECÓVer imagem ampliada
"Nada justifica”, diz uma das faixas expostas na frente do fórum da Comarca de Chapecó (SC), sobre o assassinato de Fabiana Diavan Fávero. Os familiares e amigos pedem justiça. Ela foi morta pelo marido com golpes de faca, em julho de 2017. 

O julgamento do empresário Pedro Fávero iniciou na manhã desta sexta-feira (29), no fórum da Comarca de Chapecó. Ele é acusado de matar a esposa e esconder o corpo em um armário. O acusado será julgado por homicídio qualificado, com quatro qualificadoras: feminicídio, motivo fútil, meio cruel e recursos que dificultaram a defesa da vítima. O crime ocorreu em julho de 2017.

O homem também será julgado pelos crimes de ocultação de cadáver, fraude processual, furto qualificado, posse irregular de munição de uso restrito e porte ilegal de arma de fogo.

O juiz do caso é o Jeferson Osvaldo Vieira. A promotora é a Cândida Antunes Ferreira. Na defesa do acusado atua o advogado Alexandre Amorin. O julgamento deve se estender ao longo do dia.

Segundo informações do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, na denúncia consta que o empresário é acusado de desferir golpes de faca no lado esquerdo do peito e no pescoço da esposa, com quem era casado há 18 anos.

A investigação apurou que a mulher foi assassinada por volta das 18h do dia 4 de julho de 2017. O corpo foi encontrado por familiares em torno das 12h do dia seguinte, dentro de um armário onde o homem guardava armas, em uma sala oculta do apartamento.

Segundo informações dos autos, após o crime o acusado fugiu com o veículo de um cliente que estava no estacionamento que mantinha com a esposa, próximo ao aeroporto da cidade. No Paraná, ele se envolveu em um acidente e abandonou o carro. Mesmo assim conseguiu chegar ao Paraguai. Depois de 30 horas de negociação com a polícia, ele concordou em comparecer à delegacia. Desde então está preso preventivamente.​

Fonte:ClicRDC, Foto: Diego Antunes/ClicRDC

Últimos recados

Curta o nosso site!