Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Oeste Capital 93.3 FM
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

ONU nunca recomendou proporção de efetivo policial por habitante, diz governo de SC

AnteriorPróximo
« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:disponível, estudos, ano, respondida, centro, informações, confirmou e inexistência271 palavras4 min. para ler
ONU nunca recomendou proporção de efetivo policial por habitante, diz governo de SCVer imagem ampliada
A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) emitiu nota ontem (26) em que esclarece que a Organização das Nações Unidas (ONU) nunca fez quaisquer recomendações a seus estados-membros e também nunca divulgou estudo técnico referente a modelos de proporção de quantidade de policiais por habitantes.

“Essa afirmação é um mito, que vem sendo ao longo de anos divulgado e replicado sem qualquer base técnica ou científica”, diz o governo de Santa Catarina.

Segundo a SSP, “o parâmetro comumente utilizado por jornalistas, acadêmicos e mesmo órgãos de governo, referindo-se a uma proporção ideal de um policial para cada grupo de 250 habitantes não tem qualquer fundamento nem respaldo técnico, logo, não é adotado pela Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina”.

Um artigo científico publicado pelo Capitão da PM do Distrito Federal Sergio Carrera de Albuquerque Melo Neto investigou e pesquisou o assunto, inclusive com consulta oficial formulada à ONU no ano de 2013, respondida pelo Centro de Informações das Nações Unidas, que confirmou a inexistência de quaisquer recomendações ou estudos sobre a matéria.

Sobre o assunto, a SSP ainda levanta duas questões: “Para quantos habitantes um policial é capaz de prover segurança satisfatoriamente em São Paulo, Brasil?” e “E se a mesma pergunta fosse feita em relação a Tóquio, Japão?”.

A SSP conclui a nota com o posicionamento oficial. “Número de habitantes não pode ser variável única a ser considerada como critério técnico para definição de quantidades de efetivo policial. Realidades socioculturais devem ser avaliadas. Outros fatores devem ser balanceados, tais como: área geográfica, densidade demográfica, filosofia de policiamento implantada, incidência criminal, modalidades criminais praticadas e tecnologia disponível para o policiamento.”

Fonte:SSP/Governo de Santa Catarina
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

AnteriorPróximo

Curta o nosso site!

AnteriorPróximo