Voltar ao topo.Ver em Libras.
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

HOMEM QUE MATOU NATANA MARA DOS SANTOS E LOURDES FELIPPI CHIELA É CONDENADO A 40 ANOS DE PRISÃO

« Última» Primeira🛈
ImprimirReportar erroTags:durante, órfão, torpe, pena, também, teve, aumento e porque321 palavras4 min. para ler
HOMEM QUE MATOU NATANA MARA DOS SANTOS E LOURDES FELIPPI CHIELA É CONDENADO A 40 ANOS DE PRISÃOVer imagem ampliada
Durante o júri da tarde desta segunda-feira (16), em Chapecó (SC). Um homem, de 45 anos, foi julgado e condenado por dois crimes que ocorreram no dia 28 de maio de 2018, na cidade de Nova Itaberaba (SC). Ele matou a ex-namorada, Natana Mara dos Santos, de 27 anos, e a ex-sogra de um outro relacionamento, Lourdes Felippi Chiela, de 70 anos, a tiros. Somadas as duas penas, o homem foi condenado a 40 anos de prisão, em regime fechado. Os jurados, reconheceram o crime de feminicídio e uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas.

Na data dos crimes, o homem abordou a ex-namorada no caminho para o trabalho, em Chapecó (SC). Após prender a vítima, o autor a levou para o interior de Nova Itaberaba, onde o acusado morava.

Ao chegar na residência, a jovem tentou fugir. Ela estava seminua e correu em busca de ajuda, mas foi atingida por sete tiros. Conforme denúncia, o homem seguiu para a casa da ex-sogra. Ao chegar no local, o autor atirou duas vezes contra a mulher de 70 anos que morreu na residência.

No caso da jovem foi considerado homicídio por motivo torpe. A pena também teve um aumento porque o crime deixou órfão, um menino de seis anos, filho da mulher e pelo fato de que os disparos foram efetuados no rosto da vítima. Assim, a sentença para o primeiro crime foi de 24 anos.

No segundo fato, o homem foi condenado há 16 anos e quatro meses pelo feminicídio da sogra.

A sessão de julgamento iniciou às 9h desta segunda-feira e encerrou às 17h40. Foram exibidos vídeos com depoimentos de nove testemunhas. Outras cinco testemunhas que seriam ouvidas em plenária foram dispensadas. O interrogatório durou pouco mais de 25 minutos e causou forte emoção nos familiares das vítimas que acompanhavam o júri. O acusado disse não lembrar do ocorrido.

O homem que estava preso preventivamente desde o crime, pediu desculpas as duas famílias.

Fonte:ClicRDC, Foto: Divulgação/TJSC

Últimos recados

Curta o nosso site!