Voltar ao topo.
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

“A decisão eu respeito, o que não aceito é a mentira”, diz Lula em discurso em SP

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:tavares, desculpas, citar, possível, preocupado, candidato, peçam e quantidade433 palavras6 min. para ler
Ver imagem ampliada
O ex-presidente Lula participou de um ato em São Paulo, na noite de quarta-feira (24), logo após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmar sua condenação e ampliar a pena de prisão para 12 anos e 1 mês. Em discurso a manifestantes na Praça da República, no Centro de São Paulo, Lula disse que respeita a decisão, mas que não aceita "a mentira pela qual eles tomaram a decisão”.


"A decisão de hoje eu até respeito. O que eu não aceito é a mentira pela qual eles tomaram a decisão. Eles sabem que eu não cometi um crime. Eu me disporia a ficar com os três juízes um dia inteiro para que eles me mostrem qual é o crime que o Lula cometeu.”


Por unanimidade, os três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4, que fica em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, votaram em favor de manter a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP).


Em São Paulo, em um dos inúmeros atos que aconteceram em defesa do ex-presidente pelo Brasil, Lula voltou a repetir que não cometeu nenhum crime que justifique a condenação. "Quero que me diga qual é o crime que cometemos. Estou condenado outra vez por um desgraçado de um apartamento que não é meu, que eu não tenho. Se me condenaram, deem o apartamento pra mim que justifica.”


 


Mesmo com a decisão, a presidente do PT, Gleisi Hoffman (PR), informou em nota que registrará em 15 de agosto a candidatura de Lula à Presidência da República. Durante o discurso, Lula voltou a citar uma possível candidatura à Presidência. "Não estou preocupado se vou ser candidato a presidente ou não. Quero que peçam desculpas pela quantidade de mentiras que colocaram sobre mim”, disse.


Na esfera eleitoral, a situação de Lula só será definida no segundo semestre deste ano, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) analisar o registro de candidatura. O PT tem até o dia 15 de agosto para protocolar o pedido e a Corte tem até o dia 17 de setembro para aceitar ou rejeitar a candidatura.


A defesa do ex-presidente Lula anunciou que irá recorrer da decisão do Tribunal Regional Federal. "Não houve qualquer demonstração de elementos concretos que pudessem configurar a prática de um crime", diz o advogado Cristiano Zanin.


Como a condenação foi unânime, a possibilidade de recursos do ex-presidente foi reduzida. Com o placar de 3 votos a zero, o único recurso disponível para a defesa no TRF-4 são os chamados "embargos de declaração”, que não permitem reverter a condenação.


Fonte: G1


Foto: Celso Tavares/G1



 

Fonte:G1
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!