Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Feito!
Erro!
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

25 de setembro, Dia do Rádio

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:arquivo, compremos, pós, modernidade, seja, somos, bombardeados e publicidade353 palavras5 min. para ler
25 de setembro, Dia do Rádio
Ver imagem ampliada
No dia 25 de setembro, data do nascimento de Roquete Pinto -  o “Pai do Rádio Brasileiro“ -, comemora-se o Dia do Rádio.  O rádio foi patenteado pelo cientista e inventor italiano Guglielmo (Guilherme) Marconi, no início do século 20. Em 1923, Roquete fundou a primeira emissora do país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Era uma fase experimental do veículo, sem grandes avanços tecnológicos.  A primeira transmissão radiofônica em terras brasileiras, no entanto, já havia ocorrido no ano anterior, mais precisamente em 7 de setembro de 1922, na comemoração do centenário da independência brasileira. Na ocasião, uma estação de rádio foi instalada no Corcovado, no Rio de Janeiro, para a veiculação de músicas e do discurso do então presidente Epitácio Pessoa.
O rádio tem mais razões para ser considerado brasileiro. Roberto Landell de Moura (1861-1928), padre e cientista gaúcho, também havia realizado experiências semelhantes às de Marconi - antes do italiano. O rádio foi o primeiro grande veículo de comunicação de massas. Na verdade, dele vieram os primeiros profissionais e até os programas da TV. Por exemplo, você sabia que, antes das telenovelas, existiram as radionovelas? Os ouvintes escutavam os capítulos da mesma maneira que hoje, só que tinham que “ver“ as cenas em sua imaginação. Assim como os programas de humor e futebol. Todos começaram no rádio. Vivemos hoje na pós-modernidade, ou seja, em uma era em que somos bombardeados pela informação, pela publicidade que apela para que compremos determinado produto. A tecnologia vai ganhando cada vez mais espaço. O rádio, assim como outros meios de comunicação, busca novas adaptações, como a produção de conteúdo on-line. A trajetória do rádio no Brasil é de extrema importância, pois foi ele que manteve informadas gerações que ainda não tinham acesso à televisão e até mesmo jornais impressos. E para continuar sobrevivendo, o rádio, que ainda é o veículo de comunicação de maior agilidade na transmissão de notícias, seguirá a mesma tendência de sempre, adaptando-se aos novos tempos, dialogando com as novas mídias e interpretando os novos desejos dos jovens, que estão mais impacientes e efêmeros em tudo, querendo informação cada vez mais rápida.
Fonte: ACAERT

Imagem: Arquivo


 

Fonte:ACAERT
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!